sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Dear White People, filme discute sobre racismo e a apropriação cultural



Racismo, apropriação cultural, a representação dos negros na mídia, no mercado de trabalho e nas universidades. Todos esses temas são abordados pela comédia “Cara Gente Branca” (Dear White People), dirigida pelo novato Justin Simien. Com entrada franca, o filme será exibido neste sábado (14), às 19h, na Filmoteca Acreana (no anexo da Biblioteca Pública de Rio Branco). 

 

'Cara Gente Branco' (2014), acompanha a vida de quatro jovens negros em uma conceituada universidade norte-americana. Sam White (Tessa Thompson), uma ativista que comanda um programa de rádio universitário; Troy Fairbanks (Brandon P. Bell), filho de um dos diretores e candidato a presidência de uma fraternidade; Lionel Higgins (Tyler James Williams), um rapaz gay rejeitado pelos colegas que escreve para o jornal universitário; e Coco Conners (Teyonah Parris), uma youtuber e aspirante a socialite. Cada um lida com o racismo da sua maneira, mas quando o programa de rádio de Sam, que satiriza pessoas brancas, começa a ganhar notoriedade, todos os estudantes vão acabar se envolvendo em um conflito racial.

Cansado de não se ver representado nas telas do cinema, Justin Simien escreveu e produziu uma sátira mordaz sobre a realidade da comunidade negra americana. Feito através de financiamento coletivo, o longa-metragem ganhou 14 prêmios e foi elogiado pela crítica devido o roteiro ácido e divertido. O filme será transformado em uma série original pela Netflix, prevista para estrear em 2017. 

Veja o trailer aqui 


Serviço
Dia: Sábado, 14 de Janeiro
Horário: 19h
Filme: “Cara Gente Branca”, direção Justin Simien
Local: Filmoteca Acreana (interior da Biblioteca Pública).
Endereço: Av. Getúlio Vargas, 389 – Centro. Rio Branco (Acre)

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Amores Urbanos, a nossa primeira sessão do ano

 Amores Urbanos é o primeiro longa-metragem de Vera Egito e de todos os envolvidos no projeto, do elenco à equipe. Esse corporativismo, ou melhor, trabalho em grupo, deu o tom no set de filmagens e o clima de turma se estende à história de forma orgânica. Realizado em esquema de guerrilha, com orçamento enxuto, Amores Urbanos narra com bom humor as desventuras amorosas e profissionais de Julia (Maria Laura Nogueira), Diego (Thiago Pethit) e Mica (Renata Gaspar). Na casa dos 30 anos, a trinca vive em um mesmo prédio na capital paulista.
Você já deve ter visto o nome de Vera Egito nos créditos dos filmes de Heitor Dhalia, seu marido. Ela colaborou nos roteiros de À Deriva e Serra Pelada e foi assistente de direção em O Cheiro do Ralo. Vera também é curta-metragista renomada. Elo e Espalhadas pelo Ar foram selecionados para a Semana da Crítica no Festival de Cannes de 2009. Em entrevista à PREVIEW, ela conta que escreveu o roteiro de Amores Urbanos enquanto não conseguia captar os recursos para Rua Maria Antônia: A Incrível Batalha dos Estudantes, que deve rodar no fim do ano. “Estava angustiada porque queria fazer cinema. Escrevi Amores Urbanos pensando em juntar os amigos e suprir a necessidade de filmar”, diz. “No fim das filmagens, conseguimos captar para o Maria Antônia, pois a Globo Filmes entrou no projeto.”
 Amores Urbanos é uma obra intimista, de sutilezas. Os protagonistas são bem desenhados, tipos peculiares cujos conflitos vão da sexualidade ao âmbito familiar. A leveza predomina, porém não impede a cineasta de tocar em feridas profundas. “Quando você vai fazer um filme centrado no roteiro e sem apelo visual, os personagens precisam ser muito desenvolvidos”, explica. “Todo personagem, grande ou pequeno, precisa de um conflito a resolver, porque isso engaja o espectador, que acaba se identificando com alguém ali.”
São Paulo é personagem atuante na trama, a cidade que abraça e repele seus habitantes com a mesma intensidade. Vera descreve seu filme como “uma crônica de geração” e revela que muito do que se vê em cena é inspirado em casos reais. “Descobri que faço autoficção, o filme não é autobiográfico no sentido de ser a minha trajetória, mas é autoficção porque invento a partir de sentimentos próprios e de amigos”, afirma. “A primeira cena, em que a Julia descobre a verdade sobre o namorado, aconteceu com uma amiga minha, e o lance da menina que é gay e tem dificuldade de assumir socialmente é a junção da história de dois casais de amigas.”
Veja o trailer aqui 
 

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Sessão Especial Anime, com o filme Ghost in the Shell: O Fantasma do Futuro


Ghost in the Shell: O Fantasma do Futuro é um filme de animação japonesa, do ano de 1995, dos gêneros ficção científica e ação, dirigido por Mamoru Oshii e escrito por Kazunori Itô e Masamune Shirow.


O filme transcorre no futuro, no ano de 2029, onde existe a capacidade técnica de manipular pessoas entrando em suas mentes. O hacker, chamado de Mestre das Marionetes, é especialista em computadores e capaz de controlar a vontade dos outros, e é caçado por um grupo secreto chamado Esquadrão Shell. 

A líder, Major Motoko, foi tão modificada que quase todo seu corpo não é mais humano. De seu "eu" original teria sobrado apenas um "fantasma". Junto de Bateau e Togusa, ela caça o criminoso e se envolve em uma trama de conspirações, colocando-se em um rumo perigoso que pode levar às autoridades mais elevadas do Ministério envolvidas em uma conspiração. 

Ghost In The Shell: O Fantasma do Futuro, foi uma das principais inspirações para grandes filmes hollywoodianos como Matrix.
O cineclube opiniões realizará sessão especial no sábado (10), as 19h, com um bate-papo após o filme com Victor Abugoche, amante da cultura dos quadrinhos e animes japoneses.

A entrada é gratuita. Vamos?

Serviço: Sábado, 10 de Dezembro
Horário: 19h
Filme: “Ghost In The Shell: O Fantasma do Futuro”, direção Mamoru Oshii.
Local: Filmoteca Acreana (interior da Biblioteca Pública). Endereço: Av. Getúlio Vargas, 389 – Centro. Rio Branco (Acre)

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Meu relacionamento abusivo


O desejo de manter um relacionamento amoroso pode se tornar uma armadilha para muitas mulheres, sobretudo, em uma sociedade na qual vigora a cultura do estupro – que banaliza e justifica a violência contra a mulher ao associar seu valor às suas condutas morais e sexuais.

Por essas razões que Cineclube Opiniões em parceria com Coletivo Feminista Unas – Santa Maria (RS), promove em Rio Branco a estreia do filme “Meu relacionamento abusivo”, da diretora Caroline Pigatto Motta, próximo sábado, (23 de julho), às 19h na Filmoteca Acreana.

Após a exibição do filme uma roda de conversa sobre essas questões com Amanda Dornelles, Ana Luiza e Lidianne Lima.

Entrada absolutamente gratuita!

Data: Sábado, 23 de julho.
Horário: 19 horas.
Filme: “Meu relacionamento abusivo”, direção Caroline Pigatto.
Local: Filmoteca Acreana (interior da Biblioteca Pública).

Endereço: Av. Getúlio Vargas, 389 – Centro. Rio Branco (Acre)
Preço: Grátis.

segunda-feira, 11 de julho de 2016

M - O vampiro de Dusseldorf


ATENÇÃO, CINÉFILXS DE PLANTÃO!

Imagine um misterioso infanticida que leva o terror a uma cidade. Agora some a ideia que a polícia local não consegue capturar o serial killer, diante disto, um grupo de “foras-da-lei” se une para encontrar o assassino. Capturado pelo grupo “fora-da-lei”, o serial killer é julgado por um tribunal de criminosos e é acusado de ter quebrado a ética do submundo.

Essa é a história do filme “M – O vampiro de Dusseldorf” do diretor Fritz Lang, será exibido no próximo sábado, 16 de julho, na sessão internacional do cineclube Opiniões, na Filmoteca Acreana, às 19h. Após a exibição do filme bate papo especial com prof. Marcelo Murilo da Universidade Federal do Acre. 

Entrada gratuita, vamos?

Data: Sábado, 16 de julho.
Horário: 19 horas.

Filme: “M – O vampiro de Dusseldorf”, direção Fritz Lang.
Local: Filmoteca Acreana (interior da Biblioteca Pública).
Endereço: Av. Getúlio Vargas, 389 – Centro. Rio Branco (Acre)
Preço: Grátis.

terça-feira, 28 de junho de 2016

O Clube



Após um breve recesso para recarregar o acervo de filmes, cineclube Opiniões volta com suas sessões periódicas neste sábado, 02 de julho, a partir das 19h na Filmoteca Acreana.
Para começar o mês de julho vamos de sessão latino americano com o filme chileno, “O Clube”, do diretor Pablo Larraín.

O filme apresenta quatro padres que vivem numa casa isolada à beira-mar. Cada um tem um pecado a ser expiado, e eles estão sob a direção de um guardião. Quando um quinto padre chega, ele desperta os pecados enterrados pelos quatro anteriores.

Portanto, não se esqueça, hoje (02 de julho), às 19h na Filmoteca Acreana, sessão latino americano com o filme “O Clube”. Entrada gratuita e com debate!


Data: Sábado, 02 de julho.
Horário: 19 horas.
Filme: “O Clube”, direção Pablo Larraín
Local: Filmoteca Acreana (interior da Biblioteca Pública).
Endereço: Av. Getúlio Vargas, 389 – Centro. Rio Branco (Acre).
Preço: Grátis

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Freenet?


Até onde vai sua liberdade na internet? Quem governa a rede? Com quais interesses? Será que somos todos livres para acessar conteúdos? Ou ter privacidade? Que direitos humanos são afetados quando se ataca a liberdade da rede? Quem garante o direito de todos os cidadãos a uma conexão rápida e de baixo custo?

Essas são algumas questões tratadas no filme colaborativo “Freenet?”, que será exibido no próximo sábado, (21), a partir das 19h, na Filmoteca Acreana, seguida um bate papo especial com professor Gustavo Cardial, sobre essas e outras questões. Entrada gratuita!

Data: Sábado, 21 de maio.
Horário: 19 horas
Filme: “Freenet?”, direção colaborativa.
Local: Filmoteca Acreana (interior da Biblioteca Pública)
Endereço: Av. Getúlio Vargas, 389 – Centro. Rio Branco (Acre)
Preço: Grátis.