Header Ads

CARTA DE REPÚDIO

MOVIMENTO AUDIOVISUAL ACRIANO CONTRA A CENSURA!

- O ESTADO BRASILEIRO É LAICO! -

A exemplo das constituições democráticas contemporâneas, a Constituição Federal de 1988 proíbe qualquer espécie de censura, seja de natureza política, ideológica ou artística (art. 220,§2°).

Do ponto de vista do direito constitucional, censura significa todo procedimento do Poder Público visando a impedir a livre circulação de ideias contrárias aos interesses dos detentores do Poder Político. Vale dizer, o Estado estabelece previamente uma tábua de valores que deve ser seguida pela sociedade. Assim sendo, os Valores do Estado Brasileiro não podem jamais ter como parâmetro os dogmas fundamentalistas religiosos em um país legalmente LAICO e PLURAL.

A liberdade de expressão e informação encontra-se, outrossim, expressa em vários documentos internacionais: a Declaração dos Direitos Humanos de 1948, aprovada pela ONU (art. 19); o Convênio Europeu para a Proteção dos Direitos Humanos e das Liberdades Fundamentais, aprovado em Roma no ano de 1950 (1 e 2); mais recentemente, a Convenção Americana de Direitos Humanos -Pacto San de José da Costa Rica.

A nossa atual Constituição Federal regula a liberdade de expressão e informação nos arts. 5° e 220. As principais disposições normativas são:

Art. 5°, IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

Art. 5°, IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

Art. 5°, XIV - é assegurado a todos o acesso à informação e resguardo do sigilo da fonte, quando necessário ao exercício profissional;

Art. 220 - A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a. informação, sob qualquer forma, processo ou veículo, não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição.

§1° - Nenhuma lei conterá dispositivo que possa constituir embaraço à plena liberdade de informação jornalística em qualquer veículo de comunicação social, observado o disposto no art. 5°, IV, V, X, XIII e XIV;

§2° - É vedada toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística.

De acordo com a CONSTITUIÇÂO FEDERAL, nós, realizadores independentes, cineclubistas, artistas, produtores e articuladores das políticas públicas para a cultura, nos manifestamos em REPÚDIO à atitude de censura por parte de alguns Deputados Estaduais em relação à exibição do filme “Eu não quero voltar sozinho” (2010), do diretor premiado Daniel Ribeiro, na Escola Armando Nogueira, nesta semana.

Sem debate prévio e sem embasamento legal, a não ser de ordem fundamentalista, reacionária e dogmática, os Parlamentares, em fórum fechado, na Assembléia Legislativa do Acre, censuraram e desqualificaram o valor artístico/cultural do filme. O pior de tudo é que o fato ocorreu sem ao menos proporem um debate democrático e técnico com a participação de especialistas em cinema e educão ou representantes do Projeto Cinema e Educação do Ministério da Justiça. Com essa atitude, transformaram a ALEAC em um órgão Censor, posicionando-se de maneira arbitrária e desconsiderando a Constituição Federal Brasileira.

Por ser uma casa que representa todo o povo acreano, sem distinção de credos ou ideologias, tememos pelos critérios usados por estes parlamentares que, inclusive, manifestaram-se na imprensa com informações falsas sobre o filme. Através desta carta, solicitamos um POSICIONAMENTO da ALEAC em relação a essa atitude, que em nada contribui para a construção de uma sociedade democrática e de direito.

O Programa Cine Educação foi elaborado a partir de parceria entre Cinemateca Brasileira, Via Gutenberg, diversas Secretarias Estaduais e Municipais de Educação e o patrocínio da MAPFRE Seguros, tendo como foco a formação do cidadão a partir da utilização do cinema no processo pedagógico interdisciplinar.

O Programa é parceiro da Mostra Latino-Americana de Cinema e Direitos Humanos, que acontece em quase todas capitais do Brasil. No Acre é realizado há dois anos, com sucesso de público e de crítica.
Os filmes da Mostra de Direitos Humanos, que são posteriormente exibidos no projeto Cine Educação, se propõem a difundir as temáticas dos Direitos Humanos por meio da linguagem cinematográfica, com temas como valorização da pessoa idosa, inclusão das pessoas com deficiência, garantia dos direitos da criança e do adolescente, população de rua, saúde mental, igualdade de gênero, diversidade sexual, preconceito racial, liberdade religiosa, acesso à terra, direito ao trabalho decente, inclusão social, entre outros.
O programa possibilita aos alunos discussões criticas e reflexivas de temas fundamentais para a formação de uma sociedade mais justa,solidária e, sobretudo, de respeito ás diferenças. Enfatizamos aqui, que o Programa não tem nenhuma relação com o KIT ANTI-HOMOFOBIA, que também deve ser tratado com responsabilidade e não de forma deturpada, como vem sendo feito.

O curta-metragem “Eu Não Quero Voltar Sozinho”, de Daniel Ribeiro, alvo de preconceito e descriminação no Estado do Acre, é um dos filmes brasileiros mais premiados dos últimos tempos em vários Festivais de Cinema Nacional e Internacional. Entre eles:

· Prêmios de Melhor Filme e Melhor Roteiro - Júri Oficial, Melhor Filme - Júri Popular, Melhor Filme – Prêmio da Crítica no 3º Festival Paulínia de Cinema - 2010

· Prêmios Troféu Mix Brasil Coelho de Prata / TOP 10 filmes escolhidos pelo público no 21° Curta Kinoforum – Festival Internacional de curtas-metragens de São Paulo 2010

· Prêmio de Melhor Roteiro no Entretodos 3 - Festival de Curtas de Direitos Humanos

· Menção Honrosa na 10ª Goiânia Mostra Curtas

· Prêmios de Melhor Filme, Melhor Film Juri Popular e Melhor Roteiro no CLOSE - Festival da Diversidade Sexual de Porto Alegre

· Prêmios de Melhor Filme Júri Popular e Melhor Direção no 17º Festival de Cinema e Vídeo de Cuiabá

· Prêmio ET de Prata - Melhor Direção no 9º Festival Nacional de Cinema de Varginha

· Prêmios Coelho de Ouro - Melhor Curta Nacional e Coelho de Prata - Melhor Roteiro no 18º Mix Brasil

· Prêmio de Melhor Direção no 4º For Rainbow - Festival de Cinema e Cultura da Diversidade

· Prêmio de Melhor Roteiro no 4º Festival Internacional de Cinema de Itu

· Prêmio de Melhor Filme - Mostra Nacional no Curta Cine Malagueta – 2° Festival Nacional Curtas-Metragens de Rondonópolis

· Prêmio de Melhor Roteiro no 17º Vitória Cine Vídeo

· Prêmio de Melhor Curta Nacional - Juri Popular no 6º Fest Aruanda

· Menção Honrosa no II Curta Carajás

FESTIVAIS INTERNACIONAIS

· Melbourne Queer Film Festival

· Festival Internacional de Cinema de Guadalajara

· Festival Cinematográfico Internacional del Uruguay

· Torino GLBT Film Festival

· Prêmio do Público - Melhor Curta Metragem

· Menção Oficial - Juri Oficial

· Pink Apple Film Festival

· Inside Out - Lesbian and Gay Film and Video Festival of Toronto [29]



Pela Liberdade de Expressão e Direitos Humanos!

Rio Branco, Acre - 03 de junho de 2011

. CONSELHO NACIONAL DE CINECLUBES - CNC

. DIRETORIA REGIONAL NORTE DO CONSELHO NACIONAL DE CINECLUBES

. CÂMARA TEMÁTICA SETORIAL DO AUDIOVISUAL DE RIO BRANCO

· ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE DOCUMENTARISTAS E CURTA METRAGISTA SEÇÃO ACRE (ABDeC – SEÇÃO ACRE)

· ASSOCIAÇÃO SAMAÚMA DE CINEMA E VÍDEO

. ARTRIO PRODUÇÕES

· CINECLUBE OPINIÕES

· CINECLUBE COCAR

· CINECLUBE BARRACÃO

· CINECLUBE CINEMACRE

12 comentários:

  1. embaixo, no meio, no centro...em tudo que é canto

    ResponderExcluir
  2. Aposto como todos os alunos já devem ter assistido a este vídeo. O Curta bombou na internet!

    ResponderExcluir
  3. cristão de verdade não prega ódio à diversidade, qualquer que seja. vergonha!

    ResponderExcluir
  4. Eu acredito que esse curta não induz e nem incetiva o mesmo que o assiste a cometerem tal ato repudinado por boa parte dos acreanos, mas como vivemos em um país democrata temo o direito de expressa todo e qualquer tipo de sentimento afeto etc.... em fim ao meu ver o curta e uma excelente produção acho que seja contra deveriam repensar em seus conceitos de jugamento pois existem tantas outras coisas que discriminam e marginalizam a sociedade que deixam de se preocupar com tais atos e fatos para se preocupar com um simples curta de exelente qualidade.

    Samir

    ResponderExcluir
  5. Vivemos no afeganistão ou paquistão, só falta o Taliban aqui. Censura nessa porcaria, tinha que mandar prender todos deputados.

    ResponderExcluir
  6. Esse país esta mesmo ganhando contornos ditatoriais

    ResponderExcluir
  7. Uma afronta a liberdade no Brasil. Precisamos deter esse movimento de fundamentalistas religiosos rasgando a Constituição e tolhendo os direitos civis.

    ResponderExcluir
  8. Esse país esta mesmo ganhando contornos ditatoriais[2]

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.